Pesquisar este blog

Com Virada Cultural público teve fim de semana cultural


Bons espetáculos e público empolgado. Dos teatros silenciosos, com platéia ora contemplativa, ora às gargalhadas, à praça Getúlio Vargas, de onde vieram os amplificados acordes que levantaram a multidão, a Virada Cultural 2011 contemplou o fim de semana dos araçatubenses com atrações diversificadas e de qualidade. A largada foi dada às 18h de sábado no teatro da (Universidade Paulista) Unip, com a presença da secretária de Assistência Social, Cidinha Lacerda, que representou o prefeito Cido Sério, do secretário de Cultura, Hélio Consolaro, do reitor da universidade, Hélio Negri, e de representantes da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, organizadora do evento junto à Prefeitura.

A partir daí, os espetáculos eram simultâneos e o público teve a difícil tarefa de escolher qual assistir. No palco da Unip, a Cia. Nova de Teatro fez a estreia da noite e se apresentou com Heiner Müller em Repertório, resultado de investigação da obra do dramaturgo alemão que resultou num espetáculo multimídia, convergindo as linguagens do teatro, da dança, do vídeo, da música eletrônica e da moda.



Às 18h30, foi a vez de iniciar na praça Getúlio Vargas, que foi do som do DJ Rafael Cancian ao esperado show de Zeca Baleiro. A praça aos poucos foi ficando lotada e, próximo das 20h, em frente ao palco principal uma multidão curtiu a mistura de funk, jongo, rock, jazz, rap, reggae, xote e, principalmente, samba da banda Farofa Carioca. Na sequência, foi a vez da banda araçatubense Swing Snake Blues, que fez o público pular ao som do bom e velho rock and roll e se envolver com o blues. Com clássicos de Eric Clapton, B.B King, The Alkman Brothers e outros grandes, o quinteto da casa empolgou.

A banda Canastra surpreendeu o público com a diversidade de seu som, apresentando o repertório do novo CD “Chega de falsas promessas”. Ficar parado foi impossível com os inusitados ritmos. Na sequência, às 0h, o esperado Zeca Baleiro apresentou seus sucessos e contagiou o grande público, que já tomava toda a praça e ruas ao redor. Nos teatros, She’s Lost Control, da Cia. Vitrola Quântica, se inspirou na canção homônima do Joy Division para montar o belo espetáculo de dança, apresentado no teatro Paulo Alcides Jorge. Na madrugada, o stand up de Renato Tortorelli lotou o teatro da Unip.

DOMINGO

As atrações iniciaram às 10h30 com a peça infantil Coisas de Saci, da Cia. Tempo de Brincar, e teve também espetáculo na Catedral Nossa Senhora Aparecida, com a Banda de Sopros do Projeto Guri de Andradina. As artes plásticas também tiveram espaço na programação com a exposição Correntinhas, da artista plástica araçatubense Mildred Rocha.

A intervenção Primata, da Virtual Companhia de Dança, fez rir e refletir com aproximadamente 20 minutos em cena. Usando como referência a teoria da evolução e o estudo dos primatas, a montagem é uma perspectiva humorada sobre a espécie e sua e(in)volução, mas principalmente um exercício plástico sobre o movimento e suas possibilidades. O encontro literário com Ignácio de Loyola Brandão foi um privilégio para o público, que pode debater com o escritor sobre sua obra no intimista teatro Paulo Alcides Jorge.

A atração mais esperada do domingo, o show de Fafá de Belém, encerrou a Virada Cultura 2011 com a praça lotada e público cantante. A assinatura da cantora, a canção Nuvem de Lágrimas, pôde ser ouvida de longe, entoada pelo grande coral. E assim, em parte, foi a Virada Cultural 2011 de Araçatuba, que contou com muitas outras atrações, segurança e diversão. Parabéns para o público!