Pesquisar este blog

Secretário da Cultura, Assesa, presidentes das escolas de samba de Araçatuba visitaram Batatais

 
Batatais - 58 mil habitantes - estância turística



 História e dados de Batatais


Relatório da viagem a Batatais
Por Vanessa Manarelli
No dia 23 de fevereiro de 2011, a Secretaria de Cultura de Araçatuba organizou  caravana para a cidade de Batatais – SP, a fim de obter informações sobre a realização do Carnaval daquela cidade.
Igreja matriz da cidade
Estavam presente na comitiva o Secretário de Cultura de Araçatuba, Prof. Hélio Consolaro, a chefe de divisão Vanessa Manarelli, o Sr. Manoel Rodrigues Filho, presidente da GRES Sonho e Fantasia junto com as senhoras Marilene Constantino de Souza e Patrícia Batista, Sr. Osvaldo de Souza Rodrigues, presidente da GRES Os Caprichosos, Sr. Rosvel de Menezes, presidente da GRES Virada do Sol, Sra. Adriana Aparecida Correia, representante da GRES Unidos da Zona Leste, Sr. Marcos Benedito da Silva representante da Secretaria de Participação Cidadã, os Srs. Jorge Costa, Gilberto Mantovani representando a ASSESA (Associação das Escolas de Samba de Araçatuba) e o Sr. Jaques Lima Pétia presidente da ASSESA.
Carros dos dirigentes da UESB
Na chegada fomos recepcionados pelos Srs. Gino Ivair Belon, presidente da UESB (União das Escolas de Samba de Batatais), Ubaldo Mozart Ribeiro, vice-presidente da UESB, Gustavo Rafaini, assessor jurídico da UESB, que nos apresentaram toda a estrutura do Carnaval de Batais, a qual passamos a descrever:
Arquibancada do sambódromo
Da realização do evento: o carnaval de Batatais é financiado (em grande parte) pela Prefeitura Municipal, através de sua Secretaria de Esporte e Turismo, mas realizado tecnicamente pela UESB.Importante ressaltar que Batatais, goza do título de estância turística.
Arquibancada
É importante dizer que o carnaval de Batatais é administrato pela classe média e alta da cidade. Ao contrário de Araçatuba, elas não se afastaram dos festejos de momo, principalmente os descendentes de italianos.  
Hélio Consolaro, Araçatuba; Gino Ivair Belon, Batatais
 Através de procedimento licitatório, a UESB (única entidade que possui em seu corpo estatutário a possibilidade de realizar o carnaval de Batatais) é contratada pela Prefeitura Municipal. 
Hélio Consolaro dá entrevista ao comunicador Osvaldo Batista na Rádio Difusora de Batatais
A partir daí são estabelecidos contratos entre a UESB e as escolas de samba de Batatais para a realização das apresentações.
Jaques Lima Pétia, presidente da Unidos da Zona Leste de Araçatua
Estes contratos, de acordo com o assessor jurídico, da UESB são extremamente rígidos em pelo menos duas questões: a maneira como o dinheiro será repassado às escolas e a prestação de contas que as escolas devem fazer para a UESB.
Estúdio da Rádio Difusora AM - Batatais
No que tange ao repasse de verbas, este é feito através de carta de crédito, onde as escolas apresentam as notas fiscais para a UESB e esta efetiva os pagamentos, há um repasse mínimo de dinheiro em espécie para as escolas.  
Grupo de visitantes conversa com o Gino Ivair Belon

Dos valores do carnaval 2011:Este ano, a Prefeitura Municipal de Batatais investiu R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) em todo o carnaval. Deste montante R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) é destinada para cada uma das 06 escolas de samba. Neste ano, por conta de um saldo positivo no caixa da UESB, as escolas receberão mais R$ 5.000,00 (cinco mil reais) da própria união.
Foto panorâmica
A estimativa é que cada escola invista entre R$ 75.000,00 (setenta e cinco mil reais) e R$ 125.000,00 (cento e vinte e cinco mil reais) por carnaval, ou seja, conseguem com patrocínio de empresas  particulares até quase triplicar o valor recebido da Prefeitura.
Grupo de visitantes
 Além do repasse feito pela Prefeitura Municipal, há ainda a comercialização dos espaços de publicidade (R$ 300,00 cada espaço) a venda dos 124 camarotes (R$ 1.000,00 cada para 10 pessoas para as 03 noites) e a cobrança de ingresso para assistir o espetáculo (R$ 16,00 para os 03 dias).
Grupo de visitantes
 Este dinheiro é gerenciado pela UESB que arca com toda a despesa de infraestrutura do Carnaval, desde o pagamento do ECAD, a contratação do som, limpeza, bombeiros, etc.
Grupo de visitantes
 Os diretores da UESB não são remunerados, e não sobrevivem de carnaval. Cada um tem uma profissão distinta do cargo que ocupa na diretoria da UESB.
Como premiação para as escolas, a renda da bilheteria do último dia de Carnaval é revertida em porcentagens equivalentes à classificação da escola.
Fim da visita, almoço no restaurante
 Da estrutura: Batatais conta com um sambódromo construído pela Prefeitura dentro do Parque de Exposições, com capacidade para cerca de 8.000 (oito mil pessoas).  No desfile das campeãs, segunda-feira, os ingressos são cobrados fora do pacote e o montante arrecadado é proporcionalmente rateado entre as escolas, conforme classificação. Na terça-feira, o sambódromo é aberto às manifestações carnavalescas mais espontânea.
 
No sambódromo, ainda há espaço reservado para a montagem dos carros alegóricos das escolas. O problema do local é a entrada e a saída das escolas, pois não há espaço suficiente.

Cada escola de samba tem sua sede própria, construída a partir de centros comunitários. Quase em todas existem quadra esportia e barracão para feitura de carros alegóricos. Todas as despesas de energia e água dos barracões são por conta da Prefeitura Municipal

Dos projetos sociais:  Em Batatais o envolvimento da comunidade com as escolas de samba é quase pleno, porque são departamentlos  de centros comunitários. 

Todas as escolas promovem eventos como a Casa do Samba, festa que acontece aos domingos de manhã e movimenta toda a comunidade, onde a renda proveniente da venda de bebida é revertida para a própria escola. Existem também os projetos sociais como a escola de formação de mestre-sala e porta-bandeira, oficinas de bateria e dança.

As escolas de samba: em nossa visita tivemos a oportunidade de visitarmos duas escolas: Castelo e Unidos do Morro.

A Castelo impressiona pela organização e limpeza dos barracões, além de apresentar fantasias luxuosas e acabamento impecável. È tida como e escola mais rica do município, e conta com grande envolvimento da classe média/alta da cidade que chegam a gastar entre R$ 15.000,00 e R$ 20.000,00 em uma fantasia de destaque.

A Unidos do Morro caracteriza-se por uma administração mais familiar muita organização, com um pouco mais de simplicidade. Mas nas duas escolas foi visível a paixão com que as pessoas trabalham pela sua escola e a dedicação que empregam em seus afazeres. 

Dos jurados: Os jurados especializados e com formação, capazes de proferir julgamento pautado na técnica e qualidade da apresentação  são contratos.  A UESB contrata jurados da FESEC, e investe cerca de R$ 15.000,00 (quinze mil reais) para 18 jurados.