Pesquisar este blog

Encontro de Dirigentes Municipais de Cultura do Estado de São Paulo


Andrea Matarazzo ladeado por assessoras. Faltou na foto apenas André Sturm

No dia 21 de fevereiro, segunda-feira, a Secretaria Estadual chamou os dirigentes municipais para um encontro no Memorial da América Latina, em São Paulo. Embora gere mais expecativas do que soluções, grande parte dos municípios que tratam de uma forma mais enfática a questão cultural se faz presente. Pelo menos, todos conhecem a nova equipe do novo governo, que, no caso, continuou a mesma do ex-governador Alberto Goldman, e a política cultural será a mesma do ex-governador José Serra. A fala diferenciada é que a interiorização das ações da Secretaria Estadual de Cultura é uma necessidade. Esse discurso veio tanto da equipe do governo estadual como dos dirigentes municipais, ávidos de atenção.
Além do secretário Hélio Consolaro, esteve presente também o diretor de Cultura, Alexandre Melinsky.

     
Alexandre Melinsy e Hélio Consolaro, apó so almoço, no próprio Memorial da América Latina

O encontro teve a seguinte pauta:
8h30 - Credenciamento/Café da Manhã
9h30 - Apresentação Artística
10h - Pronunciamento das autoridades
11h -Troca de informações sobre os projetos, ações e políticas culturais
12h - Almoço
13h30 - Atração Artística
14h -Troca de informações sobre os projetos, ações e políticas culturais
15h30 - Feira de Projetos e Programas da Secretaria de Estado da Cultura/Café da Tarde
Quarteto Abaiony - de Tatuí - recepcionou os participantes
 O secretário municipal de Cultura de Araçatuba, Hélio Consolaro, usando a palavra durante a plenária, com a presença do secretário estadual de Cultura, Andrea Matarazzo, reivindicou:
1. Mais mecanismos de participação, como reativação do Conselho Estadual de Cultura, convocação de conferências, pois aquele momento de entrosamento era necessário, mas só ele não era suficiente;
2. Interiorização das atividades da Secretaria Estadual de Cultura, inclusive na construção de equipamentos;
3. Elogiou o Projeto Guri, mas enfatizou com outros secretários a necessidade de sua descentralização, não ficar apenas num ponto da cidade. Se precisar, ampliar a parceria do município;
4. Elogiou o trabalho da Oficina Cultural Sílvio Russo.  

A Orquestra Sinfônica de Catanduva, de aprendizes, recepcionaram os participantes após o almoço