Pesquisar este blog

ARAÇATUBA RECEBE POLO REGIONAL DO PROJETO GURI

No próximo dia 25 de agosto a cidade de Araçatuba recebe o Polo Regional da Associação Amigos do Projeto Guri (AAPG). Com esse lançamento a organização inaugura o nono (9º) de um total de 13 novos polos, que têm o objetivo de buscar maior descentralização administrativa e fortalecer a proposta educacional aplicada regionalmente.

Essa iniciativa faz parte das ações de adequação pelas quais estão passando todos os níveis do Projeto Guri, com visitas à melhoria qualitativa da gestão e do atendimento social e pedagógico oferecidos aos alunos.

O Polo Regional do Projeto Guri em Araçatuba funcionará na Rua Anita Garibaldi, 75 – Centro –, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h30. De acordo com Alexandre Melinsky, diretor do Depto da Cultura da Secretaria Municipal de Araçatuba, a parceria com a Associação Amigos do Projeto Guri (AAPG) confirma o compromisso da cidade para a inclusão sócio-cultural de crianças e adolescentes. “A cidade será beneficiada em diversos sentidos. Ganhará com a ampliação de vagas e proporcionará novos conhecimentos aos alunos atendidos. Apoiar essa iniciativa também é uma forma de Araçatuba ser reconhecida como uma cidade fomentadora da cultura, principalmente da arte musical”, diz.

Entre as novidades, o novo polo oferecerá os cursos de baixo elétrico, bateria, guitarra e flauta doce. As inscrições para os novos cursos estarão abertas até o dia 4 de setembro, nos dias úteis da semana, das 13h30 às 18h, no mesmo endereço. As aulas serão iniciadas dia 31 de agosto.

Para o dia da inauguração, às 10h30, a AAPG prepara uma visita monitorada ao novo polo, tendo como convidados uma comitiva da Secretaria de Cultura do Estado, representantes dos órgãos públicos de Araçatuba e imprensa. Neste momento, o evento contará com a apresentação musical da Orquestra de Sopros de Araçatuba. No período da tarde, a partir das 14 horas, dando continuidade à programação do dia, o Grupo Seis com Casca (leia abaixo) se apresenta no Teatro da UNIP (Rua Baguaçu, 1939 – Jardim Alvorada). Neste caso, a plateia será formada por alunos das escolas da cidade, que serão convidados a se matricular no Projeto Guri.

Os primeiros Polos Regionais do Projeto Guri foram inaugurados em São José do Rio Preto, Jundiaí, São Carlos, Presidente Prudente e São Paulo. Dando continuidade a este projeto, em 2009 já foram inaugurados também Polos Regionais em Jaú, São José dos Campos e Santos.

Nova metodologia para o ensino musical
Com a implantação dos novos polos, formatos e propostas de cursos ainda não existentes no Projeto Guri serão testados. Entre as novidades está a ampliação da faixa etária dos alunos, que agora podem se inscrever no Projeto a partir dos 7 anos de idade, quando participarão de aulas de iniciação musical. Além disso, todos os alunos passam a ter três aulas semanais de instrumentos com duração de 1 hora e quinze minutos cada, ao contrário das duas aulas atuais.

Com a abertura do Polo Regional em Araçatuba o Projeto ampliará o número de vagas e oferecerá os seguintes cursos: violino*, viola*, violoncelo*, contrabaixo*, eufônio*, trompete, trombone, flauta transversal, clarinete, saxofone, flauta doce, coral, percussão, guitarra, bateria e baixo elétrico. Além dos cursos, há disciplinas complementares de iniciação musical, prática de conjunto e oficina vocal, disciplinas existentes apenas nos Polos Regionais. Em Araçatuba o Polo Regional oferecerá ao todo 331 vagas.

* aguardando contratação de educadores musicais.

Formação complementar à sala de aula
Outra novidade dos Polos Regionais é a criação dos acervos de literatura e música. Além de ampliar o repertório cultural dos alunos, a iniciativa aposta na complementação da formação em sala de aula, já que o acervo deve estender a permanência do aluno no polo, reunindo no mesmo espaço outras atividades além dos cursos tradicionais.

Para acompanhar os mais de 100 títulos que compõe o acervo, o Projeto Guri preparou uma cartilha com dicas para a aplicação do novo material, por parte dos instrutores, em sala de aula. São ao todo 12 suplementos didáticos, todos escritos por músicos, instrumentistas e pesquisadores da área musical. Na prática, as apostilas abordam os temas presentes nos livros, tornando as aulas mais interativas, dinâmicas e integradas. Alguns textos comentam obras do acervo e outros propõem atividades relacionadas ao conteúdo do acervo, por exemplo. Além dos suplementos, o Projeto Guri oferece também uma capacitação específica aos seus colaboradores para instruí-los a atuarem como mediadores do acervo.

Descentralização administrativa
Junto a cada novo Polo Regional a AAPG inaugura uma sede Regional administrativa, que passa a ser responsável pela gestão administrativa, pedagógica e social de todos os polos do Projeto Guri na região. “Além de promover a inserção social de crianças e adolescentes por meio do ensino coletivo de música, as Regionais terão como função supervisionar os polos do Projeto Guri já existentes nas respectivas regiões”, adianta Alessandra Costa, diretora executiva da AAPG.

A aposta é que a regionalização e a descentralização administrativa aperfeiçoem a qualidade de gestão, aprimorando ações que antes eram realizadas pela sede da AAPG, localizada na capital. “Cada Regional contará com uma equipe de especialistas em coral e instrumentos, gestores e supervisores de desenvolvimento social, o que garantirá um acompanhamento mais detalhado das atividades realizadas nos 316 polos abertos do Projeto”, observa Alessandra.

Com o novo modelo administrativo, a organização pretende ampliar sua atuação e contribuição para o bem-estar integral dos ‘guris’. Para tal, as Regionais contarão com equipes formadas por psicólogos e assistentes sociais, responsáveis por identificar possíveis problemas que de alguma forma possam interferir no rendimento e na vida dos alunos, encaminhando-os posteriormente a uma rede de serviços do município.

Para o sucesso da iniciativa, a AAPG busca intensificar as redes de parcerias de política de atendimento da criança e do adolescente em cada uma das mais de 300 cidades que mantêm polos. A partir do trabalho mais próximo de supervisão dos polos, a ideia é estabelecer parcerias com outras organizações da sociedade civil e do governo para o atendimento das necessidades relacionadas à saúde, educação, geração de renda e assistência social de cada ‘guri’, contemplando assim um atendimento integral às necessidades de seus alunos.

Sobre o grupo Seis com Casca
O grupo Seis com Casca nasceu inspirado no quinteto que Astor Piazzolla criou no final de sua vida. Surgiu na Universidade de São Paulo (USP), onde os então alunos do departamento de música se juntaram para tocar uma das composições do mestre argentino. Atualmente, o grupo "apresenta música erudita de uma maneira popular e música popular de uma maneira erudita".

No repertório, junto a Piazzolla há espaço para composições próprias e também Pixinguinha, Luiz Gonzaga, Nino Rota e Prokofiev, entre outros. Em suas releituras, o conjunto faz adaptações de clássicos para instrumentos atuais. Assim, buscam novas propostas e possibilidades, escrevendo também arranjos eruditos para músicas populares.

Os integrantes do grupo Seis com Casca têm carreiras nos mais variados ramos da música. Em seus trabalhos individuais, já participaram de grandes orquestras como a Osesp, Osusp e Orquestra Municipal de São Paulo, de mostras e festivais como a XVII Bienal de Música Contemporânea e o Festival Música Nova, de espetáculos teatrais como Honra, (estrelado por Regina Duarte e Marcos Caruso), de show de artistas como Elba Ramalho, Moraes Moreira, Arrigo Barnabé e Fernanda Porto, entre outros.

Formação: Bruno Monteiro (piano), Potiguara Menezes (guitarra), Diogo Maia (clarinete), Nikolay Iliev (violino), Mauricio Biazzi (contrabaixo) e Nelson Carneiro (percussão e vibrafone).

Sobre o Projeto Guri
Criado em 1995 pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri tem como missão promover a inclusão sociocultural de crianças e adolescentes por meio do ensino musical. Hoje, o Projeto é gerido pela Organização Social de Cultura Associação Amigos do Projeto Guri (AAPG). A organização conta com diversos parceiros, patrocinadores e colaboradores, sendo seu principal mantenedor o Governo do Estado de São Paulo. Graças a estas importantes parcerias e apoios, o Guri atende cerca de 40 mil crianças e jovens, está presente em 363 polos e configura-se como um dos mais bem sucedidos projetos da área sociocultural. Empresas privadas que queiram colaborar com o Projeto Guri podem usufruir da Lei de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura. Pessoas físicas também podem contribuir com o Projeto. Visite nosso site:
www.projetoguri.org.br.