Pesquisar este blog

Executivo propõe criação de museu da comunicação com homenagem a Alcides Mazzini‏

 
O prefeito Cido Sério assinou projeto de lei, na quinta-feira (18), para criação do Museu da Imagem, do Som e da Comunicação Alcides Mazzini. O gabinete ficou lotado durante o ato, presenciado por familiares, amigos, ouvintes, conselheiros municipais de cultura, servidores na Secretaria de Cultura e pelo secretário de Cultura Hélio Consolaro.

Esta foi uma solenidade diferente. Após se identificar, cada pessoa fez um rápido comentário sobre o homenageado, enaltecendo suas qualidades como cidadão, profissional, amigo, pai de família. O secretário Hélio Consolaro deu início, destacando que “ele era muito interessado na cultura de Araçatuba e também se preocupava com a preservação da história da cidade. O museu já nascerá com nome artístico: MusicAM. Música e Alcides Mazzini”.

A família Mazzini esteve representada pela esposa, Aparecida Edevanir Sversuti Mazzini, pelo irmão João Mazzini e cunhada Maria Cândida, que agradeceram a iniciativa, por representar o resultado do empenho e dedicação dele à comunicação e à música, durante toda a vida. Amigos presentes representaram a Loja Maçônica Moderna, Museu Moisés Joaquim Rodrigues, Casa de Apoio São Francisco e empresa TUA (Transportes Urbanos de Araçatuba), onde ele trabalhou por muitos anos. Caráter, companheirismo e competência profissional foram alguns dos valores destacados.

Ao prefeito sobrou pouco para comentar, conforme frisou, em tom de brincadeira. “Alcides Mazzini ecoa sonoridade, qualidade musical, sensibilidade artística. E esta iniciativa já está inspirando outras ideias. A nossa expectativa é a de que possamos ampliar e potencializar ainda mais este projeto. O ser humano Alcides Mazzini fez por merecer. Cabe a nós esse reconhecimento”. Após a assinatura, o projeto de lei foi encaminhado à Câmara de Vereadores. A gestão será compartilhada: entre a Prefeitura e futuro conselho gestor do MusicAM.


PROJETO DE LEI
A proposta de criação do Museu do Som, da Imagem e da Comunicação partiu do próprio Alcides Mazzini, inspirado por suas raízes no meio radiofônico de Araçatuba. Desde 1995 ele fomentava a ideia de criar um órgão de preservação da história do rádio, do radioamadorismo, das comunicações no meio ferroviário, da fotografia, das artes gráficas, das manifestações artísticas e do jornalismo. E reunia material para o futuro acervo.

Esse futuro chegou. E o museu já tem à disposição 48 peças catalogadas, entre rádios, rádiovitrolas, microfones, equipamentos de emissoras de rádio, equipamentos de rádioamador, máquinas fotográficas, materiais fotográficos, discos em 78 rotações e LPs. Também há revistas, gibis e jornais. A maioria é das décadas de 30, 40, 50 e 60.

Alcides Mazzini faleceu no dia 10 de fevereiro de 2014, aos 67 anos. Atuava como assessor de imprensa; apresentava o programa Cid Mazzini, na rádio Cultura FM, aos domingos; era articulista no jornal Folha da Região; e coordenava a UNA (Universidade Aberta da Melhor Idade).


Na década de 1960, ele integrou um grupo chamado “Os Milionários”, que tocava sucessos da jovem guarda e rock, que surgia para o mundo. Depois participou do grupo Corda e Voz, na década de 1980, gravando um disco. O lançamento aconteceu no hotel Maksoud Plaza, em São Paulo.