Pesquisar este blog

Peça discute questão da juventude indígena


Na próxima sexta-feira (28), às 20h, o Teatro Castro Alves recebe o espetáculo de dança “Frágil ou o Sentido da Ruptura”. A peça retrata a vida dos jovens índios guarani-kaiowa e suas realidades, reunindo uma série de dificuldades relacionadas a território e mobilidade. A entrada é gratuita.
  
Movimentos sincronizados e acrobáticos são algumas das características da peça que já ganhou o “Prêmio Petrobras Klauss Vianna”, da Funarte, em 2009. Com uma trilha sonora eclética, o espetáculo traz músicas regionais do Estado do Mato Grosso do Sul, polca paraguaia, músicas indígenas, entre outros, diferenciando-se dos demais gêneros da dança de rua.


A peça relata a vivência do jovem indígena na sociedade atual. O roteiro se desenvolve a partir das noticias, do ano de 2008, sobre a onda de suicídios entre jovens indígenas da etnia guarani-kaiowá.


O grupo “Funk-se”, responsável pelo espetáculo, surgiu como uma organização amadora em 1996 para trabalhar uma estreita relação com seu público, dançando em vários tipos de espaço, democratizando o acesso às manifestações artísticas propostas.