Pesquisar este blog

Batucando Araçatuba encanta público presente

Da esquerda para direita: Pepa Pedro Dibo (Alma), Hélio Consolaro (Secretário de Cultura), Daniel Freitas (Alma), prefeito Cido Sério e o cônsul peruano Arturo Jarama.
No último sábado (15), ocorreu em Araçatuba o 2º Batucando Araçatuba, evento organizado pela Associação Livre de Músicos de Araçatuba (Alma), com apoio da Secretaria Municipal de Cultura. Houve a presença de 211 percursionistas de várias cidades brasileiras.

No palco, havia uma banda seguida pelos percursionistas que se espalharam por toda a praça Hugo Lippe Jr (Praça Olímpica). Na hora da execução da música, os instrumentos da banda, como o seu cantor, eram amplificados, enquanto a percussão era acústica. O clima que se instalou no momento em que os instrumentos começaram a ser tocados, foi de completo êxtase entre o público.

Cônsul peruano recebe titulo de Hóspede Oficial do município das mãos do prefeito Cido Sério
Estiveram presentes na abertura do evento: prefeito Cido Sério, o secretário municipal de Cultura Hélio Consolaro e o cônsul do Peru (São Paulo) Arturo Jarama. Arturo Jarama recebeu das mãos do prefeito Cido Sério o título de Hóspede Oficial do município durante sua estada em Araçatuba.


ORIGEM
O cajón é um instrumento de percussão que teve sua origem no Peru colonial, onde os escravos africanos, separados de seus instrumentos de percussão pelos feitores da época, utilizaram-se de caixas de madeira e gavetas (outra tradução para cajón) para tocarem seus ritmos. Daí dizer que sua origem é afro-peruana. Com o passar do tempo o instrumento transformou-se no que conhecemos hoje por cajón. O instrumento hoje é considerado pelo governo peruano como "Patrimônio Cultural da Nação".  Para ler mais, CLIQUE AQUI.


A palavra cajón não foi aportuguesada e significa caixão. Cajones - plural de cajón. Araçatuba tem fábricas de Cajon e os músicos locais utilizam o instrumento de forma freqüente. Já há dois grupos de cajones na cidade: Grupo 12 Mãos e In Box.