Pesquisar este blog

Prefeitura inaugura estátua do violinista Célio Novaes

Como parte das comemorações do Dia da Consciência Negra, 20 de novembro, a Prefeitura de Araçatuba, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (SMC), inaugurou a estátua do violinista Célio Novaes da Silva no saguão de entrada do teatro Castro Alves. A estátua foi projetada e moldada pelo artista plástico Paulo Martins, que venceu o concurso “Célio, seu Violino e sua Praça”, lançado pela SMC no dia 28 de maio de 2010, data em que o músico completaria 70 anos. Célio faleceu em 15 de fevereiro de 2010, aos 69 anos.

A cerimônia contou com a participação do prefeito Cido Sério, do secretário de Cultura Hélio Consolaro, dos irmãos de Célio, Lorival Novaes da Silva e Elenice da Silva Marques, de diversos músicos da cidade e amigos do saudoso violinista. 

Antes da cerimônia de inauguração, Natália Zago, neta do músico Bruno Zago, que hoje dá nome à Orquestra Municipal de Sopros, tocou violino para os presentes. Natália foi aluna de Célio. Cecília Raab, filha do músico José Raab, também participou da inauguração. Seu pai foi um dos responsáveis pela iniciação de Célio na música.

AGRADECIMENTOS
Agradecendo em nome da família, Lorival destacou as boas lembranças que tem do irmão. “É uma honra para nossa família esta homenagem, agradecemos do fundo do coração. Tudo o que importava para meu irmão era seu violino e a praça. Ele fazia a nossa vida feliz”, disse, emocionado. 

“Esta cerimônia torna o Dia da Consciência Negra ainda mais especial”, disse o prefeito Cido Sério. “Homenagear um violinista negro, tão importante para nossa cidade, é mais uma prova de que a música une os povos e atravessa fronteiras”, destacou.

CONCURSO
A equipe de jurados foi formada pelos artistas plásticos Fernando Martinez, Euclides Garcia Paes de Almeida e Massato Ito, que levaram em consideração, entre outros fatores, o projeto e material utilizado e a estética do trabalho.

VENCEDORES
1º lugar – Paulo Martins
2º lugar – Henry Mascarós
3º Mário Pó

O MAESTRO
Célio Novaes da Silva regia, antes de morrer, uma orquestra de cordas, formada por músicos experientes e jovens. Araçatubense, Célio era filho do maestro Pedro Novaes, primeiro regente da Banda Municipal de Araçatuba. Solteiro, deixou três irmãos e 15 sobrinhos. Morava sozinho na rua Luiz Vignoli, no Jardim Casa Nova.