Pesquisar este blog

Fundação da associação das Escolas de Samba é concretizada

Fernanda Mariano
Folha da Região

A criação da Assesa (Associação das Escolas de Samba de Araçatuba) foi formalizada, na última sexta-feira, em reunião que contou com os presidentes e integrantes de escolas de samba da cidade. Para os envolvidos na festa de Momo, a iniciativa é uma maneira de valorizar a atividade cultural no município, além de elevar o nível das produções carnavalescas.
O estatuto apresentado pelo grupo que irá presidir a entidade foi aprovado e nos próximos dias será publicado um edital sobre a fundação da instituição, com posterior registro em cartório.
Integram a diretoria da Assesa o empresário Maurício Carlos Lupifieri, como presidente; o advogado Oscar Faria Ramos, vice-presidente; o diretor escolar Ricardo Luís Andrade, primeiro-secretário; o professor Marco Santana Leal, segundo-secretário; o empresário Jorge Luiz Costa, primeiro-tesoureiro; o advogado Sílvio Luís Teixeira, segundo-tesoureiro; e o músico Josevaldo Alves, como suplente. No conselho fiscal: o empresário Antônio Carlos de Novaes Elias; o empresário e artista Mauro Rico e o jornalista Réggis Antônio.
Participaram da reunião o presidente da escola de samba Caprichosos, Osvaldo de Souza Rodrigues, o Coro; da Virada do Sol, Rosvel de Menezes; da Sonho e Fantasia, Manoel Rodrigues Vieira Filho, e da Unidos da Zona Leste, Jacques Pétia.
O objetivo da associação é representar as escolas e administrar ações que podem ser revertidas em benefício do carnaval araçatubense. "O carnaval de Araçatuba é tradicional na região e queremos que ele seja ainda mais valorizado", comentou o presidente da Assesa, Maurício Carlos Lupifieri.
Segundo ele, entre os projetos previstos para a organização estão a captação de recursos e a sensibilização de patrocinadores da festa.
"A associação é uma entidade de direito privado, dotada de personalidade jurídica e caracterizada pelo agrupamento de pessoas para a realização e consecução de objetivos e ideais comuns, sem finalidade lucrativa", destacou o empresário Jorge Luiz Costa, primeiro-tesoureiro da associação.
O grupo está cadastrando futuros associados contribuintes. "Assim que a Assesa for fundada, marcaremos a primeira assembleia geral ordinária para aprovação do valor de contribuição e outros itens de pauta."
De acordo com os integrantes da associação, a entidade pode proporcionar vantagens àqueles que apoiarem sua missão. Entre elas: o associado contribuinte tem o custo reduzido no patrocínio de eventos; propaganda em publicações de revistas, jornais e periódicos da Assesa; descontos especiais em anúncios no site oficial da associação; brindes promocionais podem ser rateados entre os associados contribuintes; incentivos fiscais por meio de descontos no IR, "sujeito a aprovação do FNC"; doações ou patrocínios a projetos culturais aprovados pelo Pronac podem ser abatidos no IR conforme lei Rounet, número 8.313, de 23 de dezembro de 1991.
Lupifieri comenta que neste primeiro ano de atividade, a associação contará com o apoio direto da Secretaria Municipal de Cultura e com os presidentes das escolas de samba da cidade. "Vamos agir em comum acordo, pensando no melhor para o carnaval da cidade".

Presidentes têm expectativas positivas

Os presidentes das escolas de samba participaram da Assesa (Associação
das Escolas de Samba de Araçatuba) como associados beneficiários. São
aqueles que recebem, gratuitamente, os benefícios alcançados pela
entidade conforme regimento interno, junto aos associados contribuintes,
órgãos públicos e privados.
"A nossa expectativa é que a associação possa favorecer o trabalho das
pessoas que atuam no carnaval da cidade", comenta o presidente da Unidos
da Zona Leste, Jacques Pétia. Ele lembra que as agremiações em atividade
também estão cuidando da sua formalização e já têm ou estão em processo
para a conquista da sua personalidade jurídica. "É uma forma de também
buscar recursos e profissionalizar a atividade."
Para o presidente da Virada do Sol, Rosvel de Menezes, a associação
ajudará no reconhecimento da ação dos grupos diante da sociedade. "Os
que trabalham com o carnaval na cidade são margilizados; essa
organização pode contribuir na mudança desse pensamento e conscientização."
"A iniciativa é ótima; agora, precisamos ver como será a participação
das escolas, contando com a associação como suporte", frisou Manoel
Rodrigues Vieira Filho, presidente da Sonho e Fantasia.
A reportagem tentou falar com o presidente da Caprichosos, Osvaldo de
Souza Rodrigues, na manhã desta segunda-feira, mas não o encontrou em
seu número de telefone celular.